Gostar de cozinhar, buscar um corpo em forma, desenvolver novos alimentos, entender como funcionam as dietas ou sonhar com um mundo vegano e saudável.

Os motivos por quem opta pelo curso de Nutrição são os mais variados, e normalmente vão de encontro aos valores de cada um.

Isso porque a profissão nutricionista envolve sonhos e objetivos muitas vezes pessoais,e que podem ser vistos como habilidade na hora de seguir a profissão.

Mas será que eles bastam para suprir às expectativas de quem quer ser um profissional competente?

Neste artigo,separamos algumas características que fazem a diferença para que o acadêmico de nutrição se torne um referencial na sua categoria.

Continue lendo e saiba mais sobre isso.

Curiosidade para pesquisa

Não importa em qual área da nutrição se pretenda atuar, um bom nutricionista precisa ser curioso, gostar de pesquisar, de testar e ser resiliente para, quando falhar, tentar novamente.

Seja em uma nova receita, um novo produto, uma nova tentativa de dieta, o elemento essencial para que tudo dê certo é a curiosidade.

Como há sempre muitas novidades no ramo alimentar, é preciso se reciclar, buscar cursos, atualizações, workshops e toda inovação da área.

Quem é curioso vai ficar bem satisfeito com tantas coisas novas.

Ter boa memória

Conhecer os nutrientes de cada alimento, as melhores combinações para construir cardápios balanceados, as propriedades de cada ingrediente, os valores diários necessários para uma vida saudável, as possíveis substituições, tudo isso faz parte da rotina de um nutricionista.

Quando há, por exemplo, a dúvida de um paciente, ter a resposta na ponta da língua passa muito mais confiança do que fazer uma consulta.

Por isso, boa memória é um dos requisitos para quem deseja seguir carreira na nutrição.  

Saber ouvir

Para conhecer os hábitos alimentares das pessoas, e entrar e modificar essa rotina alimentar, o primeiro passo é ouvir.

Saber o que se come, a quantidade, porque a alimentação é feita daquela maneira e o que é capaz de transformá-la só é possível de uma maneira: ouvindo.

Seja o paciente, para um tratamento individual; uma pesquisa, para o desenvolvimento de novos produtos; o coletivo, no caso da preparação de cardápios para empresas e escolas; para dar certo, é preciso estar atento e de ouvidos bem abertos, tentando não ser influenciado pelas suas próprias percepções.

Argumentação

Ter domínio do assunto e boa capacidade de argumentação é um dos diferenciais dos bons profissionais que optam pelo atendimento em consultório.

Convencer os pacientes de que melhorar seus hábitos alimentares vão trazer resultados benéficos para a saúde pode parecer o básico da profissão, mas nem todas as pessoas tem a flexibilidade, traquejo e paciência necessários para essa etapa de convencimento.

Pode-se imaginar que quem procura por um nutricionista está aberto a mudanças na alimentação, mas o cardápio de rotina, que envolve desde o paladar até a forma de se relacionar com as pessoas, é um dos costumes mais difíceis de serem transformados.

Por isso, uma das funções do nutricionista é a de convencer, e por isso é preciso gostar de argumentar.  

E aí, sua personalidade se encaixou nessas características?

Para saber mais sobre o curso de nutrição e outras carreiras profissionais continue lendo o nosso blog.

Nutrição