Sabe o que a matemática e a computação tem em comum?

Não, não vamos contar uma piada de tiozão.

Vamos mostrar que essas duas áreas se assemelham na lógica, por isso estão bastante próximas.

É comum quem gosta de exatas também curtir tecnologia, e aí, na hora de escolher uma profissão, ficar em dúvida sobre qual carreira seguir.

Mas quem é bom em exatas não precisa necessariamente cursar matemática, e quem gosta de computação não precisa se graduar programador.

Há diversas profissões que unem exatas à tecnologia e que apresentam carreiras bem variadas e promissoras.

Listamos algumas delas para ajudar você na importante missão de decidir com o que vai trabalhar pelo resto da sua vida.

Mas não se esqueça: requisito básico para se sair bem nesses cursos é ter um grande senso matemático e pensamento lógico.

Engenharia de software

Esse é o curso certo para quem gosta de matemática, de computação, mas também tem um perfil de empreender e inovar.

Isso porque esse profissional vai criar sistemas, e o mercado de trabalho, apesar de estar em expansão, já é bastante concorrido.

Para se destacar, é preciso pensar fora da caixa na hora de pensar em novos aplicativos, jogos, plataformas digitais para atividades educacionais, sistemas embarcados e mesmo os sistemas específicos, como os destinados áreas médica, bancária, do agronegócios, gestão de diferentes segmentos do comércio ou o que a imaginação mandar.

É preciso ser curioso para descobrir e mapear quais áreas podem ter o desempenho e a produtividade aumentados através de softwares.

Tecnologia em análise e desenvolvimento de sistema

Alguns cursos reúnem exatas, computadores e outras competências, mas esse, especificamente, é pra quem gosta SÓ de exatas e de passar horas na frente de um PC.

Apesar de estudar engenharia de software e banco de dados, o curso envolve muitas disciplinas de Ciências Exatas, como cálculos e diversas linguagens de computação.

Aliás, um profissional dessa área deve estar sempre por dentro das novas linguagens, por isso nunca deve parar de estudar.

Também deve estar por dentro de novos aplicativos e ambientes operacionais.

Na rotina de trabalho, um analista e desenvolvedor de sistema vai desenvolver, projetar, analisar, implementar e atualizar sistemas informatizados para ampliar a capacidade de recursos dos equipamentos especificamente para certas áreas, por isso é necessário que ele conheça bem os negócios da empresa ou área para qual atua.

Como é um curso que forma tecnólogos, ele tem uma duração menor, e em cerca de três anos o estudante estará apto a ingressar como profissional graduado no mercado de trabalho.

Engenharia de produção

Para esse curso, além de gostar de exatas, já que estuda muita matemática e física, e de computação, é preciso se familiarizar com humanas e ser bem organizado, com pensamento otimizador.

Afinal, otimizar é a palavra-chave para um engenheiro de produção.

Essa é a profissão que se dedica a implementar e melhorar todos os sistemas da empresa: os que envolvem equipamentos, informações, materiais, energia, etc.

Quando se trata de pessoas, é o engenheiro de produção que consegue apontar conhecimentos e habilidades, otimizando o rendimento.

Por isso, a engenharia de produção entra em alguns ramos da administração de empresas.

No mercado de trabalho, um profissional pode atuar com o que mais se identificar.

Entre as opções estão as áreas de pesquisa operacional; processos produtivos; gestão de manutenção; automação industrial; planejamento estratégico, produtivo e financeiro; operações de distribuição; controle de suprimentos; logística; entre outras.

Conheceu mais opções de cursos que envolvem matemática e computação?

Escolhemos opções que, além de serem cursos muito bem-conceituados, o mercado de trabalho está repleto de oportunidades para os profissionais da área.

O melhor de tudo: A FADEP está pronta para oferecer a melhor formação nessas áreas.

Entre em contato conosco e saiba muito mais sobre essas profissões.