Mesmo que a gastronomia tenha um valor histórico muito grande para todos os povos, e restaurantes estejam entre as atividades sociais mais valorizadas entre tantas, a profissão “chef” ganhou notoriedade há pouco mais de uma década.

Foi quando os programas de culinária invadiram todos os canais abertos e fechados que os melhores profissionais do mundo protagonizaram documentários muito bem feitos e os livros de receitas entraram na lista dos mais vendidos.

A partir daí ingredientes nativos de cada parte do mundo se tornaram conhecidos, assim como técnicas gastronômicas diferentes, que vão desde o comfort food até a cozinha molecular.

Com essa popularização da boa mesa, surgiu uma oportunidade de mercado que até pouco tempo era bem pequena em nosso país, e junto com ela a abertura de cursos superiores para qualificar a mão de obra, suprida anteriormente pelas banqueteiras e quituteiras.

Hoje, quem quer estar à frente de uma cozinha precisa, no mínimo, ser graduado em Gastronomia, e estar atento a toda contextualização sociedade / alimento que um gastrônomo precisa saber.

É o curso superior que oferece toda a base da gastronomia

Cozinhar é uma arte, e como tal precisa de conhecimento técnico que vai muito além de saber os nomes dos cortes e melhores maneiras de cocção. A base da gastronomia é, de fato, histórica.

Em um curso de gastronomia, que oferece a formação de tecnólogo e tem 2 anos de duração, o estudante aprende desde a se comunicar bem, tanto oralmente quanto na escrita, até contextualizá-la como expressão histórica e cultural, que são pontos muito importantes para elaboração de projetos e coordenação de serviços, atribuições de um chef.

Também faz parte do curso aprender sobre como calcular o impacto da atividade profissional no contexto social e ambiental e avaliar a viabilidade econômica de projetos de gastronomia, já que grandes problemas ambientais contemporâneos são a sustentabilidade e desperdício de alimentos.

Ter ética e responsabilidade profissional são valores ensinados no curso de Gastronomia.

Faz parte de qualquer curso superior conscientizar sobre como os profissionais devem atuar sempre com responsabilidade socioambiental

Mas de nada adianta toda essa preparação se o profissional não souber as técnicas utilizadas na alta gastronomia.
Por isso, durante o curso também são ensinados, critérios e aplicações de higiene e segurança em alimentação e, claro, elaborar e apresentar pratos de culinárias específicas.

Outro aprendizado valioso é gerenciar e operacionalizar eventos gastronômicos.

Um gastrônomo não precisa necessariamente estar dentro de uma cozinha, mas gostar do universo que envolve o comer e beber

Pela ampla formação, um gastrônomo pode atuar como chef de restaurante, personal chef, trabalhar com segurança alimentar ou dentro da indústria alimentícia, ser consultor, organizar eventos e fazer o gerenciamento de empresas relacionadas à alimentação.

Apesar do leque de atividades, uma das principais dicas para quem quer ingressar no curso de Gastronomia é ter amor pela cozinha, porque a rotina de um gastrônomo é ralar bastante!

Trabalhar com gastronomia é muito diferente de apresentar um programa de TV, principalmente quando o salão do restaurante está cheio. Por isso, se você não tem muita paciência para cozinhar, escolha outra profissão.

Outra característica que é interessante para quem quer seguir a carreira é ser empreendedor e gostar de inovação. Como o mercado é muito concorrido, conseguir pensar em um viés diferente, que se destaque entre a concorrência, é fundamental para o sucesso.

Antes de abrir seu negócio, é interessante que se adquira experiência

A sequência para alcançar o sucesso é lógica: é preciso aprender, praticar para só depois, aos poucos, ir conquistando seu espaço.

Estar atento às tendências também é um degrau até que você mesmo encontre o seu estilo e, por que não, também lance tendências.

O mercado de trabalho continua aquecido e em expansão, desde o setor hoteleiro até os restaurantes.

Conforme o Instituto Foodservice Brasil (IFB), o brasileiro gasta, em média, um terço de seu orçamento comendo fora de casa.

Muito mais do que alimentar o corpo, algumas refeições podem ser consideradas experiências únicas
Se você pensa dessa maneira, já tem um pé na carreira.

Gastronomia