Quem acha que precisa gostar de criança para cursar pedagogia está absolutamente enganado.

Poucas pessoas não estão dentro da profissão — ou têm interesse em segui-la — sabem sobre a carreira deste que é o segundo curso mais procurado do SiSU.

Conforme estatísticas do Censo da Educação Superior, entre 2001 e 2015 861.420 pessoas se formaram em pedagogia no país.

A profissão, no entanto, tem muito mais mulheres atuantes do que homens, e muita gente a liga diretamente à sala de aula.

Não por menos: para quem quer atuar no ensino infantil e nos primeiros anos do fundamental, o diploma de pedagogo é obrigatório.

Isso porque o foco é, em geral, a primeira infância, mas não é só dentro das salas de aula a atuação de um profissional de pedagogia. Todo mundo que se interessa por educação pode se identificar com o curso.

Fora da sala de aula, onde o pedagogo pode atuar?

É interessante saber que a pedagogia tem uma das maiores taxas de empregabilidades no Brasil. Conforme o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), 94,13% dos pedagogos estão empregados.

Grande parte, claro, dentro das salas de aula.

Mas também há outras atuações além das Instituições de Ensino — onde o pedagogo pode ser, além de professor até o 5o ano, supervisor, psicopedagogo, coordenador/orientador pedagógico ou diretor — e elas são:

Órgãos públicos, com programas e políticas públicas educacionais;

Nas áreas de RH das empresas privadas, com treinamento, desenvolvimento e responsabilidade social;

Em ONGs que trabalham com educação;

Na indústria de brinquedos, desenvolvendo novos produtos ou mesmo na classificação e indicação de faixa etária;

Em institutos culturais, promovendo ações e atividades educativas;

Em órgãos de saúde, oferecendo recreação e aprendizagem ou mesmo apoio emocional à crianças em tratamento;

Em veículos de comunicação e editoras, desenvolvendo publicações educativas didáticas e paradidáticas.

Sabendo das áreas de atuação, qual perfil mais se enquadra com a profissão?

Como vimos nas áreas de atuação em pedagogia, não é preciso gostar de criança, mas sim de educação.

Algumas características são bem-vindas para quem quer atuar dentro da profissão.

As primeiras delas é ser comunicativo e curioso. Isso porque em quase todo o leque de atuação profissional o pedagogo vai lidar com assuntos variados, e repassá-los de forma didática.

Quem consegue ter um entendimento amplo de diversas temáticas e levar esse conhecimento com clareza vai, com certeza, sair na frente.

Ser criativo está na sequência porque, com criatividade, fica muito mais fácil despertar o interesse em aprender.

Se você tem vontade mudar o mundo, torná-lo um lugar melhor para as futuras gerações, esse também pode ser um curso para você.

Afinal, é na infância que se implementam ideias que ensinar as crianças a serem adultos mais conscientes.

Por fim, é desejável que um pedagogo não seja uma pessoa conservadora ou preconceituosa.

Isso porque a profissão exige que você esteja em contato com os mais variados perfis e situações adversas, e é necessário ser aberto a todos eles e tratá-los com igualdade e respeito.

E aí, acha que está pronto para ser um pedagogo?

Essa profissão exige muita responsabilidade, afinal é o pedagogo que vai ajudar a moldar as mentes responsáveis pelo futuro do mundo.

Se você acha que tem um perfil adequado para a profissão, saiba que a FADEP está preparada para transformar você em um ótimo pedagogo.

Continue lendo o nosso blog e saiba mais sobre nossa estrutura.

 

Pedagogia